Bolsa é sempre e para sempre

Importante é o tempo e não o timing.

Buffett não seria ninguém

Reportagem da Bloomberg comenta sobre os retornos do maior investidor de todos os tempos sem seus 5 melhores anos.

Buffett, em 54 anos à frente da Berkshire (BRK), ganhou 20,6 por cento ao ano em média.

Se tirarmos apenas os 5 melhores anos (1971, 1976, 1979, 1985 e 1989), seu retorno seria de módicos 13,6 por cento.

Ao invés de lenda, Buffett seria apenas um investidor folclórico que escreve boas cartas anuais.

Pobre Buffett.


Poucos anos = muita diferença

O mais interessante não é a fama do velhinho.

O mais interessante é a diferença enorme que poucos pontos percentuais por ano acumulam em 54 anos.

100 dólares investidos por Buffett viraram 2,46 milhões, a 20,6 por cento.

A 13,6 por cento, os mesmos 100 dólares valeriam 100 mil dólares.

Queda de -96 por cento. O valor sem 5 anos seria apenas 4 por cento do valor real.

O retorno de 5 anos multiplicou o patrimônio de Buffett por mais de 24x.


Os ganhos são concentrados e imprevisíveis

Buffett ganhou 20,6 por cento ao ano pois não tentou fazer market timing.

A economia americana está emburacando? Buffett está compradasso.

Crise mundial? Warren comprado.

Presidente impopular? Comprado.

Guerra mundial? Compradaço!!

Crise do petróleo? Comprado.

Economia voando? Sim, comprado.

Nenhum investidor, na história mundial, foi capaz de evitar os piores anos.

Nenhum investidor, na história mundial, é capaz de fazer market timing.

Você é?


A aposta de Buffett com Hedge funds

Outro bom exemplo foi a aposta de Buffett contra um gestor de fundos de fundos.

Em 2007, Buffett apostou, 1 milhão de dólares, que o índice S&P500 (SPX) ganharia dos melhores hedge funds em 10 anos.

Veio a maior crise da história americana (2008) e derrubou o SPX pela metade.

Mesmo assim, ao final de 10 anos, +7,1 por cento do SPX contra +2,1 por cento dos gestores.

O problema? Os gestores ficaram com medo da crise.

Passada a crise, os gestores ficaram com medo de nova crise.

Vencida a crise, os gestores ficaram com medo de nova crise.


Medo da volatilidade

Tem medo da crise? Ótimo, eu também.

O que fazer? Comprar ações baratas e esperar a crise.

Na crise perdemos dinheiro.

Eu, você, Buffett, seu vizinho, o gestor, …, todos perdemos dinheiro.

Passada a crise, ganhamos tanto dinheiro que nem lembramos mais da crise.

No longo prazo, nada mais lucrativo que bons negócios a bons preços.

O problema é que não sabemos quando os retornos vêm.


Medo da reforma da previdência

Eu também tenho medo da reforma.

O que fazer para me proteger? Nada.

Simplesmente, compramos ações baratas e esperamos a crise.

Se ela vier, ótimo, compramos mais barato.

Se ela não vier, ótimo, nos preparamos.

Porque você pode ter certeza: um dia a crise vem.


Bolsa é para sempre

Aprenda a amar a volatilidade e o tempo.

Como não sabemos quando o mercado sobe ou cai, precisamos estar comprados todo o tempo.

Compramos e esperamos.

Comprados, estudamos os negócios.

Comprados, procuramos os melhores negócios pelos melhores preços.

Quando a crise vier, pimba! Estaremos preparados.

O Investidor de Valor perde muito dinheiro na crise. Mas ganha muito mais saindo dela.

Ame a crise. Ame a volatilidade.

Invista em valor.



Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma

Compartilhar este artigo
por Bruce Barbosa

Possui 15 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pelo BNP Paribas, HSBC e Empiricus Research. Formado em Engenharia de Produção pela USP e possui um MBA pela New York University.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!