PETR: Raio privatizador

A Petrobras informou, na noite de ontem, que o BNDES protocolou um pedido de registro da Oferta Pública Secundária das Ações ordinárias por ele detidas na Companhia.


A Petrobras (PETR3, PETR4) informou, na noite de ontem, que o BNDES protocolou um pedido de registro da Oferta Pública Secundária (follow-on) das Ações ordinárias por ele detidas na Companhia. Sendo a oferta aprovada pela CVM, o banco de fomento oferecerá ao mercado 734 milhões de PETR3 que até então estavam encarteiradas pela instituição.


Considerando o fechamento do pregão de ontem, na casa dos 31 reais, a oferta pode movimentar cerca de 23 bilhões  uma das maiores ofertas do mercado brasileiro desde 2010, quando a própria Petro movimentou aproximadamente 120 bilhões.


O BNDES pretende se desfazer do total das suas ações ordinárias, que representam quase 10 por cento do capital votante da petroleira. Restarão como principais acionistas com poder de voto a União Federal e investidores estrangeiros.


O fato é positivo para a Petrobras: a retirada do BNDES — mais um tentáculo do Estado brasileiro sobre a petroleira — tende a contribuir para uma melhora da percepção de governança da Empresa. Cabe pontuar, contudo, que a União Federal seguirá como detentora da maioria das Ações com direito a voto.


Avaliaremos oportunamente a atratividade da oferta.


E as vendas de 2020 não devem parar por aí: esperamos, ainda neste ano, que a própria Petrobras anuncie outros processos de venda de participações. São candidatas ao balcão, dentre outras, a parcela remanescente na BR Distribuidora (BRDT3) e a participação na Braskem (BRKM3).


Assuntos relacionados
Compartilhar este artigo
por Matheus Amaral
em 22/01/2020 para Nord Insights

Iniciou sua carreira como auditor e consultor na Ernst & Young, onde permaneceu por cinco anos.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!