Seu pretexto preferido

Seu pretexto preferido

O menu é diverso: podem ser as vendas do varejo americano aquém do esperado, ou a produção industrial europeia; ou talvez os próximos desenvolvimentos na guerra tarifária com a China, ou mesmo a sempre iminente possibilidade de uma nova demissão-relâmpago em 140 caracteres no governo Trump.

Escolha um, ou quantos quiser. Ou, se preferir, recorra a outro motivo que melhor conforte seu coração: o índice tal atingiu uma resistência de não-sei-quantos pontos, sem volume, ou algo que o valha. O que, no fundo, é outra maneira de dizer a mesma coisa.

O fato concreto é que mercados globais, hoje, dão sinais de cansaço e, na ausência de abalos sísmicos nas próximas horas, não devem trazer grandes sobressaltos.

Tempo de repensar

O que acho disso tudo? Francamente, acho muito bom.

Momentos assim sempre oferecem a oportunidade de darmos aqueles bons dois ou três passos para trás e, beneficiados de um pouco de sobriedade, olharmos para o big picture; repensarmos se os preços das nossas posições fazem mesmo sentido ou se nos deixamos levar pelo oba-oba do momento.

Esse é meu convite para você hoje: que tal dar uma revisada nas posições?


Dois mundos

Em julho de 2016 eu começava a escrever cinco minutos diários por aí. Sobre o que falava? Mario Draghi e os estímulos da Zona do Euro.

Com o que me deparo hoje? Draghi afirmando que o BCE ainda não está pronto para reduzir seu programa de estímulos. Nunca estará: é como perguntar a um alcoólatra se ele está pronto para parar de beber.

Do outro lado do Atlântico – e bem lembro que já fazia essas comparações lá atrás também… – Larry Kudlow chegou chegando no National Economic Council, adotando uma linha abertamente pró-Dólar e acenando com mais cortes de impostos, e sua história defesa ao livre comércio já é vista como um potencial contrapeso aos recentes movimentos de Trump.

As expressões “Velho” e “Novo Mundo” nunca fizeram tanto sentido.


Não foi falta de aviso

Enquanto isso, em Pindorama, nossos pré-candidatos começam a falar.

Geraldo Alckmin deu nova prova incontestável de seu carisma ao afirmar que sua agenda de reformas é a de… Temer. Parabéns, candidato: assim se vai longe.

Ciro Gomes, por sua vez, afirmou que a valorização do real se dá de modo artificial, que nossa taxa de câmbio deveria ser administrada sem artificialismos. Fico, cá com meus botões, me perguntando como se administra câmbio sem artificialismos.

João Dória, em seu turno, alerta para o “risco” de um segundo turno entre Ciro Gomes e Jair Bolsonaro. Jair, diga-se de passagem, lidera as pesquisas de intenção de votos nos cenários que exclúem Lula.

Não foi falta de aviso, não é mesmo?. https://youtu.be/vpI9Xa3cauA


O jogo virou

Em meio a tudo isso, reconheçamos o ineditismo da situação pela qual passa nosso país em um front em particular:

Empresas aproveitam juros na mínima história de 6,75% a.a. para pré-pagar dívidas, inclusiva ao BNDES. Muitos contratos atrelados à TJLP se tornaram mais caros do que as opções de captação no mercado.

Bom para as empresas, que se deparam com oportunidade de ouro para melhorar o perfil de seus passivos; bom para bancos, que têm nas mãos oportunidade de ouro para originar novos negócios em mercado de capitais, corporate e large corporate.

 

Sinto-me, aqui, na obrigação de chamar atenção para ABC Brasil (ABCB4), que entendo esplendidamente bem posicionado para esse movimento como alternativa não-óbvia no setor.

 

Ricardo Schweitzer, CNPI

Em observância à ICVM 483, declaro que i) as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma; ii) não possuo vínculo com pessoa natural que trabalhe para o emissor de qualquer valor mobiliário mencionado neste relatório; iii) não sou titular de valores mobiliários objeto deste relatório; iv) não estou envolvido, direta ou indiretamente, na aquisição, alienação ou intermediação dos valores mobiliários objeto deste relatório; v) não tenho qualquer interesse financeiro em relação a qualquer dos emissores objeto deste relatório.

Compartilhar este artigo
por Ricardo Schweitzer
em 15/03/2018 para Nord Insights

Possui 14 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pela Adviser Asset, Fundação CEEE, Sicredi Asset, Votorantim Corretora e Empiricus Research. Formou-se em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!