Quando o gringo vai vir?

Será que o investidor estrangeiro não percebe que vamos voar economicamente aqui no Brasil?

Será que o investidor estrangeiro não percebe que vamos voar economicamente aqui no Brasil?


Vamos para um juro abaixo de 5 por cento; estamos em retomada econômica; o Governo está fazendo o papel dele em reduzir o tamanho do estado com as reformas; nossa inflação está controlada; e temos muitas reservas!


O que mais que eles querem?


Apenas em outubro, os gringos já retiraram 4 bilhões da Bolsa, segundo a B3.


Eles não estão olhando o bom fundamento do Brasil, mas sim, os desafios de crescimento e da geopolítica internacionais.


A guerra comercial entre EUA e China está piorando os dados econômicos de ambos os países.


Os juros negativos e o baixo crescimento econômico estão trazendo consequências perigosas para a economia da Zona do Euro e do Japão.  


O investidor de fora que vem para cá não enxerga o Brasil como uma ilha no mundo. Mas como um país emergente conectado aos outros, e que segue a mesma tendência.


O que isso significa para a bolsa brasileira?


Que ela não será impactada negativamente, desde que lá fora permaneça este cenário de "não de crise".


Enquanto tem investidor colocando 100 por cento do seu patrimônio em ações  porque elas só vêm subindo desde 2016 –, olhando apenas o fundamento local, o investidor estrangeiro está vendo que se o bicho pegar, a bolsa brasileira vai sofrer também.


O processo de realocação de investimentos locais de renda fixa para renda variável vai certamente ocorrer. Mas é um processo lento e longo, incapaz de fazer preço no curtíssimo prazo.


A medida que os fundos de pensão vão reduzindo sua rentabilidade, e tendo que pagar o mesmo número de benefícios, eles vão alterando sua alocação para ativos de maior risco.


Isso já vem acontecendo, mas demora.


Se a crise externa nos pega na contramão, a bolsa pode facilmente cair bem antes de subir.

Investir não é acelerar seu autorama!

Estava contando pro meu marido sobre o meu artigo de sábado, e sobre como algumas pessoas e empresas ganharam muito dinheiro quando o mercado seguia para um lado, mas acabaram perdendo tudo quando o mercado virou.


E ele me fez uma comparação que achei simples e brilhante:


É, investir não é apenas acelerar seu carrinho de autorama...

Quando vem a reta, você dá aquela acelerada forte para passar o amigo, mas depois vem logo a curva. Se você estiver em velocidade máxima, seu carrinho capota, e não consegue virar. Para fazer a curva e continuar na disputa, você tem que desacelerar, fazer a volta, e depois acelerar de novo.


Nos investimentos funciona igual!


Você pode acelerar seus investimentos e sua tomada de risco quando os preços estão baratos e o momento de mercado está propício.


Quando começam riscos relevantes, você deve frear, aceitar ganhar menos por um tempo, fazer a curva realocando alguns ativos, para depois ter a tranquilidade de acelerar de novo.


Uma vez que você saiu da corrida, você nunca mais volta de forma competitiva.


Por isso que Warren Buffett diz: "Regra número 1: nunca perca dinheiro. Regra número 2: lembre-se da regra número 1."


Portanto, compre suas ações com moderação, compre barato, evite teses muito fora da caixa, tome cuidado com IPOs (os bancos tendem a enfeitar muito a noiva para aproveitar o período bom de mercado), e se mantenha alerta!


Se você perceber que está crescendo em você uma noção de ser muito bom em investir, e muito ganhador de dinheiro, cuidado! Você pode ter sido picado pelo mosquito do Bull Market e estar sofrendo da "alucinação do comprado".


Sintomas:


  • Alta confiança na sua própria capacidade de escolher ações vencedoras.
  • Alta confiança que o mercado vai seguir positivo.
  • Quando suas ações caem, vira torcedor.
  • Quando vê seu amigo zerando uma posição que já subiu bem, chama ele de mão de alface.
  • Não lê notícias ruins, e acha que é culpa do jornalista.
  • Planeja o que vai fazer com os ganhos que vai ter.
  • Acha que cautela é a palavra dos fracos.

Ao persistirem os sintomas, um analista deve ser consultado!


Um abraço,

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Assuntos relacionados
Compartilhar este artigo
por Marilia Fontes
em 08/10/2019 para Nord Insights

Possui 11 anos de experiência de mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pelas assets do Itaú, Mauá e Kondor, além de analista da renda fixa da Empiricus Research. Formou-se mestre em Economia pelo Insper.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!