PETR: A transição energética pode esperar um pouco

A Petrobras (PETR4) vem suspendendo ou vendendo alguns projetos relacionados à biocombustíveis ou geração de energia renovável.

A Petrobras (PETR4) vem suspendendo ou vendendo alguns projetos relacionados à biocombustíveis ou geração de energia renovável. O movimento parece contrário ao que as grandes petroleiras internacionais vêm fazendo relacionados à transição energética.


No mundo, as grandes petroleiras  boa parte europeias , se veem forçadas a correr atrás da transição energética. Vide que o velho continente está muito mais avançado que os demais em termos de leis que obrigam a troca dos combustíveis fósseis por energia renovável.


Mas cabe uma ressalva: a matriz energética de grande parte dos países europeus ainda é bem dependente de petróleo, gás natural e carvão.


A Petro chegou a ser questionada no mês passado, na conferência de resultados, e a mensagem foi clara: o foco está em se tornar mais competitiva e em gerar maior retorno para os acionistas  ou seja, o core e a razão de ser da companhia é a exploração de petróleo e gás.


Segundo a diretora financeira, assim que a Petrobras estiver mais enxuta e rentável, a empresa estará preparada para concluir quais serão as áreas mais competitivas em energia renovável e realizar investimentos.


Mas isso não significa que a Petrobras seja negligente com questões ambientais: a Companhia vem realizando ações em descarbonização de processos, como a redução da queima de gás natural flare, reinjeção de gás carbônico em poços e ganhos de eficiência energética.


Investir em projetos de transição energética agora, em um momento em que a Petro está arrumando a casa, vendendo ativos e gradualmente se tornando mais rentável, não parece ser eficiente. Na minha visão faz todo sentido postergar um pouco esses investimentos.


A Companhia trava uma batalha dura na gestão de portfólio: a Petrobras ainda é uma das companhias de petróleo mais endividadas do mundo, com dívidas representando 2,4 vezes o seu EBITDA. A estrutura de capital e operacional atual ainda está longe da desejada pela administração.


Sabemos que o foco total está direcionado à exploração e produção de petróleo em águas profundas e ultraprofundas, onde o custo de exploração é muito baixo  que por sua vez, torna o segmento de E&P o principal e mais rentável da Companhia.


Após o coronavírus, o mercado derrubou o preço das ações de commodities. Em comparação aos pares, PETR4 negocia próximo à média do setor. Porém há muito valor a ser destravado na companhia.


Compartilhar este artigo
por Matheus Amaral
em 05/03/2020 para Nord Insights

Iniciou sua carreira como auditor e consultor na Ernst & Young, onde permaneceu por cinco anos.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!