Para Bellum: prepare-se para a guerra

Contra-ataque

Avisei que tinha uma guerra lá fora: mercados asiáticos viveram um banho de sangue, repercutindo a escalada do trade war deflagrado por Trump contra Pequim ontem.

Após o primeiro crepúsculo desta nova era, o Velho Continente tem performances mistas.

Do lado de cá, futuros de NY viram para o campo positivo. Talvez dê para acompanhar aqui…

 

Nem tudo é o que parece

Que o movimento de Trump não foi pequeno, não resta a menor dúvida. Que a repercussão não é imerecida, tampouco. Mas tome cuidado para não julgar a valor de face o que, porventura, não é o que parece.

Atente-se, por exemplo, para o fato de um dos piores desempenhos na bolsa gringa ontem ter vindo de… financials.

Talvez estejamos muito mais diante de um evento tomado como pretexto para realização, em função de valuations cansados — e bem sabemos que isso é fácil de alegar nos níveis atuais vividos por lá, com tudo precificado à perfeição — e migração para menos risco do que um surto de aversão ao risco.

Devagar com o andor que o santo é de barro.

 

Hora da verdade

O convite, para o lado de cá, é ao pragmatismo: partindo do pressuposto de que você revisou as posições de seu portfólio, conforme sugeri na semana passada, a volatilidade é sua amiga — dela podem surgir oportunidades de compra fruto tão somente de distorção de preço e valor.

Compreenda de uma vez por todas: o noticiário é, a maior parte do tempo, puro ruído. Se você não usá-lo a seu favor, aproveitando distorções de preço quando todos os demais estiverem dipensando excessiva atenção a ele, ele certamente só servirá para atrapalhá-lo.

Trata-se, no final das contas, de definir de que lado do balcão você vai querer estar na hora da verdade.


Põe na conta do Meirelles

Lembra daquela negociação paralela ao G-20 da qual falei dias atrás? Pois bem: Washington confirmou, ontem à noite, a isenção da sobretaxa ao aço brasileiro até 01/05. Até lá, um acordo bilateral será costurado.

Créditos para Henrique Meirelles, lembremo-nos bem.

Escuto daqui a festa em Ipatinga: quem tem memória há de lembrar que Usiminas (USIM5) tem boa tradição na exportação de laminados de alto valor agregado para os EUA.

 

Ricardo Schweitzer, CNPI

Em observância à ICVM 483, declaro que i) as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma; ii) não possuo vínculo com pessoa natural que trabalhe para o emissor de qualquer valor mobiliário mencionado neste relatório; iii) não sou titular de valores mobiliários objeto deste relatório; iv) não estou envolvido, direta ou indiretamente, na aquisição, alienação ou intermediação dos valores mobiliários objeto deste relatório; v) não tenho qualquer interesse financeiro em relação a qualquer dos emissores objeto deste relatório.

Compartilhar este artigo
por Ricardo Schweitzer
em 23/03/2018 para Nord Insights

Possui 14 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pela Adviser Asset, Fundação CEEE, Sicredi Asset, Votorantim Corretora e Empiricus Research. Formou-se em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!