O que descobri em uma feira de slimes?

O final de semana foi completamente nulo de notícias.

O final de semana foi completamente nulo de notícias. Os jornais seguem destacando a saúde do presidente Bolsonaro e as idas e vindas da negociação com o Congresso para a aprovação das reformas.

Então, vou aproveitar este espaço para contar sobre uma divagação que tive neste domingo. Acho que você vai concordar comigo.

Ontem, a Carol, minha enteada mais velha, me implorou para levá-la em uma feira de slimes, onde suas slimers favoritas estariam vendendo seus produtos. Se você ainda não tem filhos, ou não sabe o que é isso, slime é uma gosma feita de cola que gruda muito na nossa mão (mas, não sei o motivo, não gruda nada na mão das crianças).

Bom, eu sou coração mole pra essas coisas e não sei dizer não. Sempre lembro do quanto eu gostava de ir nesses eventos quando era pequena. Já me enfiei de show do Justin Bieber no Rio a stand up do Felipe Neto.

Lá estávamos nós, há uma hora na fila para comprar os ingressos. Passavam crianças de todas a idades. A Carol me contou que eles já tinham vendido 500 ingressos pela internet e que colocaram mais 300 ingressos para vender na hora. Começamos a contar nosso lugar na fila, e ficamos feliz ao descobrir que éramos algo como 110. Mas vi uma série de crianças chorando, deixando o lugar. Imagino que não tenham conseguido. Dava muita peninha.

Bom, ingressos comprados, fomos entrar no evento. Era um ginásio de esportes até que grande, e tinham umas 10 a 12 barraquinhas com slimers famosas vendendo tudo para slimes. Eu me assuntei quando vi umas 300 crianças se amontoando loucamente para chegar perto das barracas e escolher sua preferida.

Os preços – babem!! – giravam de 15 a 30 reais por slime. Sim! Colas com glitter grudentas, a 30 reais!

A Carol girava alucinada entre as barraquinhas, gastando todo o dinheiro que ganhou da Tia Lucia no aniversário, escolhendo os melhores produtos para levar para casa.

Estava eu um pouco afastava da multidão, tentando de longe tirar foto das slimers para ela ter de recordação, quando me tocam no ombro:

- Você é a Marilia, da Nord?

Um “pai de slimer” (kkkk, adorei como ele colocou) me disse que nos acompanhava desde a casa antiga, agora nos seguindo na Nord. Me agradeceu, dizendo que havia ganhado muito dinheiro com renda fixa!

Nem preciso dizer o quanto fiquei feliz, né? Não tem nada que alegra mais o meu coração do que alguém dizer que eu ajudei em alguma coisa. Isso me dá propósito e senso de missão cumprida. Obrigada, se você estiver lendo isso!

Enquanto esperava a Carol terminar suas compras, fiquei refletindo sobre essa minha trajetória.

Desde 2016, quando saí da gestão e comecei como analista, não tinha ideia do que o futuro me reservava. Será que isso iria dar certo? No meu primeiro relatório de análise, escrevi o que eu achava que o investidor tinha que comprar e mandei, achando que tinha feito um bom trabalho.

Recebi em 1 hora cerca de 300 e-mails com várias dúvidas! Quase caí da cadeira. As pessoas não entendiam direito o que eu falava. Percebi naquele momento que não bastava apenas dizer o que fazer, mas teria que ensinar todo o processo, o racional, e o passo a passo.

Teria que transformar aqueles investidores, órfãos de gerente de bancos, em gestores profissionais!

Aceitei o desafio! E fico muito orgulhosa de ser considerada, por algumas pessoas, como a pessoa que mudou a forma como elas enxergam renda fixa!

De lá para cá, nossa carteira do Renda Fixa PRO gerou um retorno de 174 por cento do CDI. E, durante apenas o período que começamos a Nord, rendeu 275 por cento do CDI.

Nada mal para quem estava acostumado com 80 por cento do CDI em fundeco de banco grande!

Refleti também (e essa é uma conversa constante que temos aqui na Nord) sobre o número de novas pessoas entrando por dia nas redes sociais para falar de investimentos e ensinar o pequeno investidor a ganhar dinheiro.

Isso é muito bom por um lado, pois finalmente vamos quebrar o oligopólio dos grandes bancos com produtos ruins. Quanto mais informação, melhor para o sistema!

Por outro lado, sinto pelos investidores que se deparam com charlatões, ou com professores ainda pouco maduros, e acabam perdendo um bom dinheiro no caminho com recomendações ruins.

Mas não podemos fazer nada sobre isso. A internet está aí para democratizar todo tipo de informação. E nosso maior trunfo será ter bom senso para separar o joio do trigo.  

Eu estou segura de que, se mantiver meu bom trabalho, e seguir buscando o melhor interesse do investidor, as pessoas irão perceber e valorizar.

Sempre terão concorrentes com preços bem abaixo dos nossos. Mas eu prefiro acreditar que a tomada de decisão do investidor será baseada na qualidade da análise. Afinal, todos nós demos muito duro e trabalhamos a vida toda para acumular o patrimônio que temos. Não podemos deixar na mão de qualquer aventureiro, podemos?

Lembro da briga do Bruce Barbosa com analistas recém-formados na escola que diziam que o Bitcoin iria para 100 mil dólares. Tenho muita pena dos investidores que caíram nessa. Não dá para dizer que o Bruce não avisou.

Como alternativa, ele ofereceu oInvestidor de Valor, seu relatório com a estratégia do Buffett, que rendeu perto do dobro do retorno do Ibovespa.

É por esse motivo, pelo altíssimo nível do seu relatório e pela estratégia mais do que comprovada, que estamos discutindo aumentar o preço desse produto.

Vamos conversar sobre isso melhor nessa semana, e claro, te dar a chance de entrar no relatório ainda com o valor antigo.

Mas temos que valorizar os melhores produtos da casa e remunerar de forma justa o analista. Caso contrário, perderemos ele para o mercado institucional. E, no final, quem perde mesmo é você, investidor.

Um analista ganhador de dinheiro não conta seus segredos, a não ser que seja muito bem remunerado por isso. Fica a dica.

Nem preciso te dizer que as slimes que esgotaram primeiro foram as de 30 reais, né?

Mercado é mercado. Qualidade ganha de preço.

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Compartilhar este artigo
por Marilia Fontes
em 11/02/2019 para Nord Insights

Possui 11 anos de experiência de mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pelas assets do Itaú, Mauá e Kondor, além de analista da renda fixa da Empiricus Research. Formou-se mestre em Economia pelo Insper.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!