O Investidor Masterchef

(Apesar de tudo) O lado bom da quarentena...


(Apesar de tudo) O lado bom da quarentena...

É curioso como o ser humano tem uma grande capacidade de adaptação. Talvez seja algum dispositivo evolutivo que faz com que nos adaptemos a praticamente qualquer tipo de situação.


Vejo isso claramente nessa quarentena. Confesso que nunca fui um grande fã de home office, acho que a minha produtividade é melhor no escritório.


Porém, dada as circunstâncias da pandemia, esse é o único caminho possível e me adaptei a esse novo estilo.


Nessa nova rotina, com um pouco mais de organização, você consegue aproveitar o tempo para executar outros planos que já havia largado mão.  


Para alguns isso significa tirar o atraso daquelas séries do Netflix que sempre quis ver. Para  outros é aproveitar para aprender a tocar piano ou ler um livro.


Pessoalmente eu tinha vontade de aprender a cozinhar, mas a correria do dia a dia me impedia um pouco que isso acontecesse.  Eis que, em meio a essa quarentena, consegui executar esse plano, até que com algum sucesso.


Não me entenda mal. Estou a milhares de quilômetros de uma performance Masterchef. Porém, além do novo hobby, a cozinha me fascina em alguns pontos.


É intrigante como dentre todas as opções de ingredientes, o poder de você encontrar os certos e saber equilibrá-los transforma o seu prato em algo maior e mais saboroso do que seria possível comendo cada uma das partes individualmente.


Muitas delas que, sozinhas, são inexpressivas, mas no todo fazem a diferença. Em investimentos, vale a mesma ideia.


Conheça seus ingredientes


Assim como na cozinha, o mundo dos investimentos é repleto de alternativas.


O mercado é como se fosse um grande supermercado, onde ficam disponíveis uma extensa variedade de ingredientes que podem fazer parte do seu prato final (sua carteira).


E, claro, cada um deles tem uma função e se beneficiam dependendo do cenário. A renda fixa é bem versátil, podendo  a depender das circunstâncias  ser mais agressiva ou defensiva  como a Marilia já disse várias vezes.


Os fundos multimercados permitem que você, com um pouco de dinheiro, acesse diversos mercados e estratégias distintas, muitas delas que não seriam possíveis de serem replicadas pela pessoa física  seja pela falta de instrumento ou nível de recursos necessários.


Em ações, você tem aquela exposição às empresas que sobreviveram a esse Brasil, terra onde até o passado é incerto. Ao mesmo tempo que, ao investir em bolsa americana, você coloca um pézinho no exterior e mitiga um pouco as turbulências da nossa terra.


E, assim como nos pratos, cada um desses ingredientes são ótimos separadamente. Eles geram ótimos retornos ao longo dos anos, em maior ou menor grau.


Fonte: Economatica

Fonte: Economatica


Entretanto, quando juntos, transformam seu prato em Masterchef.

Montando seu prato


Além de escolher os ingredientes e saber executar aquela receita, dominar a arte de combiná-los é também muito importante.


Aqui a dosagem é muito crucial. Sal de menos deixa seu prato “sem graça”. Sal a mais deixará o conteúdo intragável.


Tudo tem a sua medida certa, não adianta querer exagerar. A mesma lógica se aplica quando pensar na sua carteira.


Imagine que você tenha essas seis classes de ativo: Índice de Dividendos (IDIV), Ibovespa (IBOV), bolsa americana (S&P 500), índice de multimercados (IHFA), IMA-B e o CDI.


Com base nos retornos que aconteceram desde 2012, você pensa em montar uma carteira para os próximos 10 anos.

Fonte: Economatica

Fonte: Economatica


Veja que, a cada ano, você tem um ganhador. Logo seria difícil acertar qual seria o próximo.


Poderia, então, chegar à brilhante conclusão de alocar 100 por cento na carteira de dividendos, uma vez que ela vence em 4 dos 9 anos.


Isso seria uma péssima jogada. Olhando a tabela, todos os outros ativos tiveram melhores rentabilidades no acumulado dos 9 anos.


Dito isso, como se preparar para os próximos 10 anos sem saber quais são os cenários que vão prevalecer?


Minha resposta: combinando as estratégias!


Simulei aqui uma carteira que tenha: 20 por cento no exterior na forma de S&P, 30 por cento em CDI, 10 por cento em IMA-B, 10 por cento no IHFA, 15 por cento do Índice de Dividendos e 15 por cento no Ibovespa.


O resultado que você obteria ao fazer essa alocação durante esses nove anos seria:


Fonte: Economatica e Nord Research

Fonte: Economatica e Nord Research


Note que, ao combinar cada um deles, você conseguiu atingir um resultado muito melhor do que qualquer um desses ativos separados.


A sua parcela no exterior e no CDI ajudaram a limitar as perdas da carteira de ações no Brasil durante a crise do governo Dilma, passando muito bem por aqueles tempos sombrios.


Em contrapartida, em 2018, quando o S&P caiu 15 por cento devido ao medo de recessão na economia americana, a sua carteira de ações brasileira subiu 40 por cento e o IMA-B outros 15 por cento.


É claro que esse é um exemplo, não se apegue a alocação. Meu único intuito era mostrar a você o quão valoroso é montar uma carteira equilibrada.


Sendo assim, está na hora de você começar a pensar em montar a sua.

Monte seu prato Masterchef


Seja na cozinha ou nos seus investimentos, tão importante quanto escolher os ingredientes (ativos) é saber a combinação perfeita entre eles.


Aquela dosagem que cria uma sintonia incrível, com cada componente contrabalanceando um ao outro, e criando um produto final fabuloso.


Estamos aqui para lhe ajudar nas duas pontas.


A Marília pode lhe guiar pelos caminhos da Renda Fixa, enquanto o Ricardo vai lhe oferecer a melhor carteira de dividendos que você já viu.


O Bruce vai lhe entregar de bandeja uma combinação de ações vencedoras, enquanto eu e o Renato vamos lhe mostrar as melhores opções em termos de fundos de investimentos.


Claro que separados todos entregam ótimos resultados. Contudo, quando combinados, somos muito melhores.


Sabemos que montar uma carteira de investimentos não é algo trivial. Existem muitas dúvidas nesse processo e exige bastante estudo.


Pensando nisso, aMarília resolveu inovar. Ela montou um programa de imersão de 30 dias dedicado a lhe ajudar nessa missão de montar sua carteira.


E convidou todos os analistas da Nord para auxiliar você a se tornar um mestre em cada uma das classes de ativos.


Afinal, um grande chef também precisa conhecer cada ingrediente antes de buscar combiná-los.


Os conteúdos no Telegram já começaram, mas você pode recuperar o histórico e acompanhar a turma. Ainda dá tempo.


Não deixe essa oportunidade escapar pelos seus dedos.


Espero te ver do outro lado!


Um abraço!


Compartilhar este artigo
por Luiz Felippo
em 03/05/2020 para Nord Insights

Iniciou sua carreira num projeto de renda fixa do Insper com o BTG Pactual. Posteriormente atuou na área de pesquisa econômica internacional do Itaú Asset Management e foi analista de Renda Fixa da Empiricus Research. Formou-se Economista no Insper.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!