Nunca fui um bom trader (ainda bem)

Saudade do mercado financeiro raiz

“Investir deveria ser mais como ver tinta secar ou ver grama crescer. Se você quer emoção, pegue 800 dólares e vá para Las Vegas. ”

Paul Samuelson


Hoje completo 14 anos de mercado financeiro.

Lembro como se fosse ontem dos meus primeiros passos na Link Corretora.

Quando digo passos, me refiro ao sentido literal mesmo.

Com 19 anos, eu mal sabia como andar pelos corredores calçando um sapato de couro apertado e a camisa enfiada para dentro da calça.

Que lugar para começar uma carreira!

Em 2005, a Link era a maior referência entre as corretoras do mercado. Em campo, a performance era digna dos galáticos do Real Madrid. No vestiário, o clima era mais para um time da várzea.

Todo mundo tinha apelido cabeludo, dava trote um num outro e a gente se adorava.

Como no dia em que o estagiário, que vinha de moto, chegou atrasado e a equipe o "obrigou" a trabalhar de capacete o resto dia.

(Saudades do mercado financeiro raiz.)


Tive uma enorme vantagem de ter começado cedo.

Pude fazer muita besteira com o meu dinheiro e o dinheiro dos outros enquanto ainda morava na casa dos meus pais.

Eu passava o dia todo na frente de uma tela olhando as cotações.

Eu achava que se prestasse bem atenção nelas, conseguiria tirar dinheiro daquilo.

Com esforço, poderia fazer dinheiro para os meus clientes, para a corretora e para mim.

Mas a real é que eu nunca fui bom trader. Embora tenha ganhado mais do que perdido.

Mesmo depois da Link eu continuei a fazer besteira.

Comprei uma porção de “micos”!

Já acreditei na dica quente de um amigo do mercado ou na historinha do diretor financeiro da companhia...

Já comprei ações de empresa que eu nem sabia o que fazia porque o gráfico “tava bonito”, porque um gringo estava comprando lote ou porque o short ratio estava na máxima.

Perdi dinheiro em praticamente todas.

Eu demorei mais de 8 anos para entender que essas são maiores armadilhas do mercado financeiro.

Oito anos é tanto tempo que, ao escrever isso, eu ainda me sinto um pouco idiota.

É duro confessar que em todo esse tempo eu não tenha conseguido acumular nenhum diferencial para bater o mercado.

Mas hoje eu entendo e lido bem com isso.

Todos nós carregamos um sentimento muito forte de achar o bilhete premiado.

Acredite, isso não existe.

Para cada um cara que ganhou dinheiro com uma dica, mais de dez perderam. E, por vezes, perderam tudo.

Eu assisti centenas de clientes quebrarem com daytrade.

Eu assisti centenas de clientes quebrarem com dicas de fórum (antigamente não existia Twitter).

Eu assisti gestores consagrados dizimarem suas assets por estarem muito concentrados.

Eu assisti gestores não-tão-consagrados quebrarem mais de 3 vezes por estarem muito concentrados e alavancados.

Em 14 anos, eu aprendi muita coisa e algumas delas você só aprende mesmo com o tempo.

Dia após dia, somos só um pouco menos ignorante do que ontem.

Eu sou um cara muito privilegiado de ter conhecido tanta gente boa por aí.

Pela Nord, eu visito assets geridas por caras que estão fazendo gestão há mais de 20 anos.

Que me contam histórias da década de 90 quando eu, de novo, mal sabia andar.

Ainda noutro dia tive o privilégio de passar 3 horas na Kapitalo, ouvindo Carlos Woelz contar com paixão e no detalhe a história da empresa, os processos de investimento e o cuidado com as pessoas da casa.

Anteontem, em visita à Pacífico no Rio, Felipe Padua me contou com foi ser co-gestor de Pérsio Arida e Dório Ferman no Opportunity há mais de 20 anos.

No mesmo dia, José Tovar me contava (de pé) toda a trajetória de lançamento das estratégias dos fundos da Truxt, mesmo quando ainda estavam sob o guarda-chuva na ARX.

Eu aprendi nesse tempo que eu não sei ganhar dinheiro com coisa difícil.

Não entendo bulhufas de Petrobras, Gafisa, Oi, Gol, Wiz, Contax e outras dessas empresas complicadas…

Eu gosto mesmo de empresas boas, rentáveis e chatas.

Sorte a minha que o Bruce e o Ricardo também gostam delas no Investidor de Valor e Nord Dividendos.

Mas eu também gosto de ganhar dinheiro com pessoas muito mais inteligentes e mais experientes que eu.

E é por isso que também que eu concentro boa parte do meu patrimônio nos fundos desses caras.

A gente escreve aqui todos os dias para passar uma mensagem que possa fazer você ganhar dinheiro.

Mas sem cair na tentação de dizer que tempo é dinheiro, a gente quer também que você não se distraia com coisas que não interessam.

Ofertas de lucro rápido, dicas quentes de um colega...

Isso não interessa.

Eu demorei muito tempo para aprender. Mas dedico hoje minha vida profissional para que o seu aprendizado seja muito mais rápido que o meu.

Nesse mercado, evitar os erros é primeiro passo para ganhar dinheiro.

PS. Hoje, às 16h, vamos fazer uma live imperdível sobre os maiores erros dos investidores. Em um clima mais descontraído (que a véspera de Carnaval merece), vamos relevar alguns dos principais erros que você precisa evitar a todo custo. Não perca.

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Compartilhar este artigo
por Renato Breia
em 28/02/2019 para Nord Insights

Possui 13 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pela Link Corretora, Galleas Asset, Rico Corretora e foi sócio da Empiricus Research. Formou-se economista pela PUC-SP, tem especialização em Gestão de Fortunas pela Columbia University e é Planejador Financeiro, CFP®.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!