Mais vale um pássaro na mão do que dois voando

A pescaria ainda parece boa, mas a sensação de que o mar não está para peixe é cada vez maior.

 

A pescaria ainda parece boa, mas a sensação de que o mar não está para peixe é cada vez maior.

Se, por um lado, o crescimento econômico parece sustentado nas economias desenvolvidas e o governo chinês parece estar conseguindo manejar a contento a atividade no gigante vermelho, por outro resultados corporativos mais fracos nos Estados Unidos, combinados com maior percepção de risco político no front europeu, têm justificado o arquear de sobrancelhas.

Consequentemente, instituições mundo afora reaquecem o discurso de que, talvez, o momento seja de reavaliar apostas de maior risco e buscar portfólios mais conservadores.

E talvez seja por aí mesmo. Localmente, pelo menos quando olhamos para os ativos do primeiro pelotão, é preciso certa “criatividade” para justificar uma esticada adicional nos valuations.

Por outro lado, oportunidades podem surgir do avanço da agenda de reformas. De fora, não dá para ficar. O meio-termo parece mesmo continuar no jogo, mas adotando uma postura mais conservadora nas alocações.

O contexto reacende a atratividade das ações pagadoras de dividendos. Historicamente menos voláteis que as teses de crescimento puro, elas viram boa alternativa para enfrentar um eventual período de estresse. Além da menor volatilidade, os valores distribuídos a título de proventos mitigam o risco de ficar refém somente da marcação a mercado para ter resultados - mais vale um pássaro na mão do que dois voando.

Não bastasse isso, a bolsa brasileira ainda oferece alternativas com perspectivas muito boas de yield. Se concretizadas, dá para bater o CDI em 2019 - com folga, se considerarmos ainda a isenção de IR.

É a oportunidade de ficar posicionado, ser remunerado para isso, e ainda participar de um eventual upside dos mercados caso a travessia se mostre mais tranquila do que começa a se insinuar.

O Nord Dividendos traz ótimas ideias para quem está em busca de Ações de empresas comprometidas, de fato, com a remuneração de seus acionistas.

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Compartilhar este artigo
por Ricardo Schweitzer
em 13/03/2019 para Nord Insights

Possui 12 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou Adviser Asset, Fundação CEEE, Sicredi Asset, Votorantim Corretora e Empiricus Research. Formou-se economista pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!