Ganhar dinheiro não significa investir bem

O que é investir bem?

Em 2003 eu entrei na faculdade de Economia. Estava maravilhada com todo o ambiente.


Eu, uma simples garota vinda do ABC, de classe média, estava entrando em uma das maiores faculdades de Economia do Brasil.


Se não era a maior, era certamente a mais cara! Para você entrar, você tinha que ter um "Laptop". Lembro até hoje a dificuldade dos meus pais em comprar aquele notebook. Na loja, era obviamente muito caro. Então, minha mãe conseguiu com uma amiga de um amigo que importassem um mais barato de uma marca totalmente genérica.


Na sala de aula, meus colegas (dentre eles o filho de fulano dono da empresa X, o sobrinho de ciclano, presidente da empresa Y, e o neto de beltrano, dono do mundo) acompanhavam as aulas com os notebooks mais modernos que o dinheiro poderia comprar. Dava pra trabalhar na NASA com tamanha tecnologia.


Guardava em mim um certo sentimento de não pertencimento. Mas eu amava tanto Economia que estava muito mais feliz do que desconfiada. E rapidamente gostei muito de todo aquele ambiente. Achei que me puxaria para cima. Me traria mais ambição. Uma ambição boa, saudável.


Mas com isso tudo quero falar especificamente de um dos meus colegas, o Muniz.


O Muniz era descendente de Indiano, com cara de ter tido pais bem rígidos em sua educação, mas, ao mesmo tempo, tinha uma aura meio carioca descontraída. Ele não se misturava muito com o resto dos colegas, mesmo sendo super agradável, pois ele estava sempre "fazendo coisas".


O que ele mais gostava de fazer era operar na bolsa de valores.


Eu costumava encontrar ele bastante, e observava constantemente suas operações. Eu não tinha idéia do que era comprar ações. Nunca tinha investido em nada que não os produtos furados de bancos. Mas ele tinha uma carteira de ações completa, cheia de teses de investimentos.


Eu lembro de ter ficado super impressionada. Até o final da faculdade, ele já tinha acumulado um patrimônio enorme com suas ações da bolsa. Seria ele o próximo Warren Buffett?


Eis que alguns poucos anos depois de eu me formar, alguém tinha me fofocado que ele havia quebrado. Perdera praticamente tudo o que tinha durante a crise de 2008. Não sei o quanto isso é verdade. Mas depois de começar a entender mais sobre investimentos, comecei a achar que não era tão impossível assim.

Esse foi o comportamento do Ibovespa durante a época da minha faculdade:


Fonte: Bloomberg


Iniciamos o "Bull Market" em 2003, quando as commodities começaram a subir muito de preço por conta do crescimento da China.


A Bolsa praticamente só subia! Quem começou a investir em 2003 achou que investir em ações era a melhor e mais fácil coisa da vida. Elas subiam, você comprava mais, elas subiam mais, e assim ia. Não dava nenhuma dor de cabeça.


Era fácil você se sentir confiante da sua capacidade de escolher boas empresas. Todas subiam. Era fácil você ceder à tentação de se alavancar.


Todo mundo era Warren Buffett nessa época!


Eis que chega 2008, na crise da subprime… e aquelas ações que só subiam, viram pó! E as teses disruptivas foram as primeiras a se desmantelarem.


Percebemos quem estava nadando pelado. Os gênios, viram perdedores.


A cada 10 investidores, apenas 1 saiu ileso. O mais preparado. E muito provavelmente aquele que deixou algum dinheiro na mesa durante a alta. Aquele que não se alavancou tanto, e não ganhou tanto dinheiro no começo. Aquele que pesquisava mais. Aquele que aceitou sair primeiro.


Deixa eu te contar da Advis


Tem outra história, muito parecida com essa, de um dos maiores fundos operadores de juros no Brasil. Vou ser breve...


A Advis era conhecida em 2012 por ter a melhor rentabilidade já vista entre os operadores de PRÉ. Os caras ganhavam muuuuuito dinheiro aplicados pesadamente em juros brasileiros. Operavam bem alavancados. Chegaram a ter 1,2 bilhão de reais sob gestão, o que na época era considerado muito. Eram os Reis dos juros.


De 2011 a 2012 tivemos um longo ciclo que queda nos juros. Mas chegou 2013…


Juros de 3 anos. Fonte: Bloomberg


…e as coisas mudaram.


Os caras levaram um capote tão grande que o mercado inteiro ficou impressionado.


Fonte: Mais Retorno


Eles não eram os reis dos juros. Apenas ficaram alavancadamente aplicados em pré durante um ciclo enorme de queda de juros.


Enquanto as taxas caíam, eles ganhavam muito dinheiro. Quando o ciclo se reverteu, eles perderam.


Hoje o fundo não existe mais.  


O que é investir bem?


Pode parecer muito estranho o que eu vou falar agora:


GANHAR DINHEIRO NÃO SIGNIFICA QUE VOCÊ ESTÁ INVESTINDO BEM!


Ganhar dinheiro com seus investimentos pode significar várias coisas, e, dentre elas, que o mercado está indo momentaneamente a favor da sua posição.


Isso significa que no longo prazo você será um investidor de sucesso?


Definitivamente NÃO.


Para você ter sucesso no longo prazo, você precisa sequencialmente investir em ativos que se valorizem, e sair em momentos que eles não são mais bons ativos.


Em 2011 e 2012, ficar aplicado em juros era o melhor a se fazer. As taxas Selic e de mercado caiam bastante, dando lucro para quem carregava essas posições.


Mas, a partir de 2013, a inflação começou a subir bem e o cenário mudou.


O prefixado e o indexado, que eram muito bons e tinham rendido muito para quem investia neles, passou a ser muito ruim.


Se você se manteve nesses títulos, de forma passiva, você devolveu todo o retorno extra que tinha ganhado, assim como o pessoal da Advis.


Se você percebeu que as coisas tinham mudado e saiu da sua posição, você manteve todo o ganho, e partiu para outro investimento melhor.


Não tente acertar o exato momento da virada!


Mas quando sair de uma posição vencedora?


Não dá para saber ao certo.


Em 2008, quem tentou acertar o exato momento da explosão da crise perdeu um bom rali da bolsa!


Digamos que você percebeu que a crise iria estourar (o que é praticamente impossível) e saiu da bolsa em 01/01/2008.


Por 6 meses você foi considerado um grande idiota! Perdeu um rali de 20 por cento até os 75 mil pontos!!!


Mas, em compensação, não perdeu o ganho acumulado de 500 por cento que tinha tido desde 2003.


Fonte: Bloomberg


Ao invés de tentar acertar o exato ponto em que os preços vão mudar no mercado, é melhor você tentar responder ao exato momento que as coisas mudam no fundamento.


Se isso significar não participar do último rali, tudo bem!


Não se sinta mal por isso!


Eu, por exemplo, recomendei a saída dos prefixados e indexados em março deste ano. Depois de ter entrado nessa posição em janeiro de 2016.


Eu achei que o risco x retorno não valia mais a pena.


Fonte: Bloomberg


Por outro lado, acabei perdendo quase 13 por cento de valorização que tivemos depois (vide gráfico acima), e fui muito criticada por alguns.


Eu até entendo as críticas, ainda mais de investidores que entraram no mercado próximo de 2016. Parece que os juros só caem! É fácil ganhar dinheiro aplicado.


Mas estou cada dia mais confiante da minha posição. E é meu dever como profissional fazer o alerta.


Não quero que você vire a Advis. Ou o meu colega Muniz.


Quero que você ganhe dinheiro no longo prazo. Investindo em ativos com bons potenciais.


E se isso significar perder um retorno aqui ou acolá, porque não saímos exatamente no melhor momento, tudo bem por mim! E tem que estar tudo bem por você também!


É melhor não tentar acertar o exato momento da virada de mercado. Colocando todo o ganho obtido em risco.


Lembre-se do que Warren Buffet disse: "Quando as pessoas me dizem que aprenderam por experiência, eu as digo que o segredo é aprender com a experiência de outras pessoas."


Aprenda com o Muniz e com a Advis!


Seguimos aqui para ajudar.


Um abraço,


Marilia Fontes




Em observância ao Artigo 22 da Instrução CVM nº 598/2018, a Nord Research esclarece que oferece produtos contendo recomendações de investimento pautadas por diferentes estratégias e/ou elaborados por diferentes Analistas. Dessa forma, é possível que um mesmo valor mobiliário encontre recomendações distintas em diferentes produtos por nós oferecidos. As indicações do presente Relatório de Análise, portanto, devem ser sempre consideradas no contexto da estratégia que o norteia.


Assuntos relacionados
Compartilhar este artigo
por Marilia Fontes
em 07/10/2019 para Nord Insights

Possui 11 anos de experiência de mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pelas assets do Itaú, Mauá e Kondor, além de analista da renda fixa da Empiricus Research. Formou-se mestre em Economia pelo Insper.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!