Feche o home broker

Antes que o mundo acabe, não saia vendendo nada por aí em meio ao ruído.

O mundo começou estranho esse ano. Mal estamos no final de janeiro e já tivemos uma quase guerra no Oriente Médio, cerveja contaminada aqui no Brasil, epidemia do coronavírus aumentando na China e dando sinais de disseminação pelo mundo… e por aí vai. Melhor até eu parar por aqui.


Onde eu quero chegar com esse clima pesado nesta news? Apesar de eu sempre atentá-los para focar sua atenção para as operações das empresas — pois é isso que importa no longo prazo — existe um mundo lá fora.


As Companhias não vivem isoladas. O mundo está globalizado de tal maneira que, se alguém espirra na China, a Bolsa por aqui cai ou sobe por causa disso. A gripe suína por lá, no ano passado, fez as ações de frigoríficos por aqui dispararem. Nossa inflação até sofreu com o preço das carnes puxando o setor de alimentos — saudades daquela picanha suculenta no churrasco de domingo...


Pois bem: nos últimos dias os mercados viveram a preocupação com os desdobramentos do coronavírus. Até o início da semana, a epidemia já registrava 2.700 casos confirmados e 80 mortos somente na China, e em pelo menos 13 outros países já encontravam casos isolados.


Veja abaixo a tela com os principais índices das bolsas e commodities pelo mundo às 9h33 da manhã da última segunda-feira, 27 de janeiro:


Fonte: Bloomberg.


Os casos de coronavírus continuaram aumentando ao longo da semana. E a eles as bolsas mundo afora seguiram reagindo.

Meu objetivo aqui não é te assustar, apenas te alertar que a renda variável varia — e não só para cima, como os últimos meses deixaram alguns acostumados. E nesses casos de euforia ou pânico com noticiário, o melhor conselho que posso dar é: não faça nada.


Exceto se você for às compras para aproveitar as oportunidades que os ruídos trazem, feche seu home broker. Não fique vendo essas luzes piscando o tempo todo, pois elas viciam e te levam ao erro.


Não caia na armadilha de vender suas ações por conta de um pânico de curto prazo no mercado. Calma. Se o mundo não acabar, vai ficar tudo bem com seus investimentos. Veja como se comportou o MSCI World Index (indicador que reúne grandes e médias empresas de cerca de 23 mercados desenvolvidos) após algumas epidemias que tivemos pelo mundo. Ao que parece, epidemias passadas não causaram tantas reviravoltas assim no mercado.



Você verá muitas matérias nos jornais dizendo que investidores internacionais estão fugindo de investimentos arriscados como a renda variável para zonas mais seguras, como a renda fixa. Vejo mais como desculpa para descontar ações que ficaram muito esticadas nos últimos tempos.


Buy opportunity?


Como vimos no gráfico acima, historicamente epidemias e situação de alto estresse não sustentaram por muito tempo um movimento de baixa para o mercado. O que significa que quem foi às compras e aproveitou as promoções se deu bem em janelas de tempo mais longas.


Estamos vivenciando ainda um momento de alto otimismo no mercado lá fora: uma pesquisa feita pela Ned Davis Research que mede o sentimento dos investidores mostra que estamos na zona extrema do otimismo.


Fonte: Charles Schwab e Ned Davis Research, Inc.


Vivenciamos um momento que, com valuations não tão triviais, o mercado busca motivos para novos descontos. E seja pelo Coronavírus ou por outros fatores, as correções aparecem. Mas uma coisa é certa: nunca saberemos o momento certo. Não tente adivinhar quando elas vem.


Apenas aproveite esses momentos de correção para refletir sobre a concentração dos seus investimentos. O César fez uma série de newsletters excelente sobre diversificação. É preciso — sempre foi e sempre será.


Saber balancear seus investimentos entre caixa, renda variável, fundos... é a forma mais sensata de se proteger — e não tentar adivinhar quando vem um próximo estopim para um ciclo de baixa.


Nossas empresas serão impactadas pelo coronavírus? O Brasil tem muitas relações comerciais com a China. Como eu disse no início deste texto, um espirro lá afeta nossos negócios por aqui. Mas precisamos também de um pouco de cautela na dimensionamento dos impactos, e não perder de vista que eles variam muito de setor para setor.


Se o mercado punir as ações indiscriminadamente, boas oportunidades surgirão. E é dessas que estaremos em busca por aqui.


Um abraço!


P.S.: também estou no Twitter para conversar com vocês.


Compartilhar este artigo
por Matheus Amaral
em 01/02/2020 para Nord Insights

Iniciou sua carreira como auditor e consultor na Ernst & Young, onde permaneceu por cinco anos.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!