Esse morro tá muito tranquilo

A bolsa não vai ficar assim para sempre.

Sinto-me assim ao ver como a bolsa subiu nos últimos meses.

Quase não teve correção. Nenhum susto relevante ao longo do caminho.

Teve burburinhos de crise internacional, teve tweet pornô do presidente...

Mas, mesmo com isso tudo, o mercado mal chacoalhou.

E logo se recuperou.

Grandes solavancos, mesmo, simplesmente não vimos.



O Baiano sabe das coisas: quando o morro está quieto demais, ele estranha.

Eu também, honestamente.

Mas, se depender da entrevista do Guedes no final de semana, teremos mais um dia tranquilo nos mercados hoje.

Tudo seguirá como está. Mas até quando?

A gente sabe, por experiência, que o morro não fica assim pra sempre - e é bom que você também nunca perca isso de vista.


O homem do trilhão


Nosso superministro Paulo Guedes segue otimista.

Mostrou que espera uma economia de 1 trilhão em 10 anos com a reforma da previdência.

É ousado na projeção.

Segundo o próprio, o governo já teria 260 deputados a favor dessa causa - de um total de 513.


Vamos às contas:

Se uns 140 são abertamente da oposição (PSOL, PCdoB, PT…), o governo ainda precisa persuadir 70 dos 113 restantes.

Assim, com 330, teriam uma bela margem de segurança em relação aos 308 necessários para a aprovação.

E não nos enganemos: isso vai exigir concessões. É natural.

Mas, claro, quanto maior a economia fiscal, mais espaço o governo terá para financiar todo o restante da agenda positiva.

Redução da carga tributária, investimentos, desoneração das empresas...

Tudo maravilhoso para o setor produtivo - o que, ao contrário do que sugere a gritaria dos contra-tudo, é bom para todo mundo.

E, o que é maravilhoso para as empresas, também será maravilhoso para a bolsa.

Não seja um aventureiro desavisado


Todo esse espírito positivo com os mercados anima as pessoas.

Até mesmo porque ninguém quer perder a festa.

Ninguém quer ser o único indivíduo do trabalho que não comprou o bilhete da Mega da Virada - vai que ganha?

Imagine-se sendo o(a) único(a) a chegar ao escritório no primeiro dia útil de 2020...

Então, hoje, ter (mais) ações em carteira beira a obviedade.

Seja lá com quem você fale - pessoas do mercado ou gente comum.

O ápice disso, para mim, foi no Carnaval.

Enquanto conversava com alguns amigos na piscina, escuto o seguinte:

“É para comprar ações!”.

Parei imediatamente a conversa e olhei em direção às vozes.

Eram rapazes de 15 anos - ou menos! -, conversando sobre comprar ações.

Confesso que meu primeiro pensamento foi de medo, ainda mais por ver que estavam comprando indiscriminadamente.

Sem fundamento. Como se a B3 fosse mais um jogo do PS4. Só não queriam perder a festa.

Só queriam contar para os amigos que eram os próximos gênios da bolsa.

O triste é que esses são os primeiros a vomitar a posição quando o mercado soluça...

E, acredite, ele vai - porque é da natureza dele.

Esse morro não vai ser tão tranquilo assim para sempre.

E você? Está preparado para isso?


Você está preparado para uma queda?


Ela vai vir. Fique vigilante.

O estopim, não sei qual vai ser.

Podem ser problemas para passar a previdência, uma crise internacional ou qualquer coisa.

E vai chacoalhar o mercado.

Enquanto esse dia não chega, é só alegria com o mercado subindo.

E, quanto mais sobe, mais as pessoas enchem as carteiras de ações - o que é um total contra-senso: quanto mais as ações sobem, menores são as margens de segurança; maior é a necessidade de ser seletivo e, portanto, tudo o que não se deveria fazer em resposta às altas é encher os bolsos, ainda mais, indiscriminadamente.


E, que fique claro: não há nada de errado com ter uma grande alocação em bolsa.

O ponto é: você tem estômago para ver tudo que você tem cair 30 ou 40 por cento e não fazer nada?

Isso é o que está em jogo. Isso é o que fará toda a diferença.

A experiência diz que a maioria das pessoas não tem.

Muitos vão vender tudo no pior momento, exatamente quando o mercado estiver caindo.

Isso, sim, retira você da festa cedo. Perde todo o show.

Se esse é o seu caso, vou te dar uma sugestão:

A melhor maneira de lidar com esses momentos é conjugar a sua carteira lotada de ações com as recomendações de Renda Fixa da Marília.

Isso vai contribuir para reduzir a volatilidade da sua carteira, e ajudar você a dormir mais tranquilo.

O Nord Advisor reúne as recomendações da Renda Fixa e de Ações - essas últimas na forma do Nord Dividendos e do Investidor de Valor. Forma, assim, uma carteira equilibrada.

E, se você quiser aproveitar a festa até o fim, essa é uma ótima pedida.

Use sempre e sem moderação.

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Compartilhar este artigo
por Luiz Felippo
em 11/03/2019 para Nord Insights

Iniciou sua carreira num projeto de renda fixa do Insper com o BTG Pactual. Posteriormente atuou na área de pesquisa econômica internacional do Itaú Asset Management e foi analista de Renda Fixa da Empiricus Research. Formou-se Economista no Insper.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!