Do Brasil aos Estados Unidos

Envio de recursos ao exterior pode ser feito de maneira simples e rápida.


Desmistificando as remessas internacionais

Muitos brasileiros — principalmente os mais velhos — ainda possuem certa reticência em relação ao envio de recursos ao exterior, mas a remessa internacional de recursos sempre foi permitida. Todavia, no passado, o processo era extremamente burocrático para a pessoa física.

Apenas as grandes instituições financeiras realizavam esse tipo de operação. Mas o mundo mudou e com o surgimento das fintechs, o aumento da concorrência e a redução de custos, foram abertas novas opções para o pequeno investidor realizar o envio de recursos financeiros a outros países.


Principais custos para envio de dinheiro ao exterior

Os custos atrelados ao envio de recursos ao exterior podem variar entre as instituições financeiras, mas é líquido e certo que o governo terá sua parte na equação.

Não há como fugir da cobrança de IOF nas remessas internacionais, cuja alíquota vigente é de 1,1 por cento sobre o valor transacionado para contas de mesma titularidade e 0,38 por cento para contas de diferente titularidade.

A taxa de câmbio utilizada no envio de dinheiro segue a cotação do dólar comercial, acrescida de um spread que varia muito entre os agentes do mercado. Sugiro que você faça uma boa pesquisa sobre as instituições que oferecem menor spread.

Existem também instituições que cobram uma taxa adicional a título de custos de transação. Neste ponto o mercado é bem diverso.

Algumas empresas cobram um percentual sobre o valor movimentado, outras cobram apenas um custo fixo por transação e existem aquelas que fazem uso das duas cobranças, fixa e variável.

No site do Banco Central é possível consultar um ranking sobre os custos praticados por diversas instituições financeiras. Nele, o investidor encontrará o Valor Efetivo Total (VET), que considera todos os custos, taxas e spread bancário na operação. Abaixo coloquei um gráfico destacando os valores médios praticados por diversas instituições ao longo do mês de maio de 2020.


Fonte: Banco Central


Opções de empresas para remessas internacionais

Existem diversas instituições que são autorizadas pelo Banco Central para o envio de recursos ao exterior, sejam os bancos comerciais, corretoras de valores ou fintechs.

Costumeiramente, por conta do relacionamento bancário e o sentimento de “segurança”, os investidores acabam optando pelo envio por meio dos bancos, mesmo pagando altas taxas por isso. Eu listo abaixo algumas outras opções, que possuem custo inferior e podem lhe salvar algum dinheiro no processo.

É muito importante lembrar que diferentemente da TED ou DOC aqui no Brasil, a remessa internacional necessita de alguns dados específicos sobre a instituição que receberá os recursos.

Normalmente você terá que prover o nome do beneficiário, código do banco no exterior (Swift), número da conta e, caso haja, código do banco intermediário.

Também há uma significativa diferença quanto à disponibilização dos recursos em sua conta no exterior. Normalmente as operações de câmbio demoram dois dias úteis para serem liquidadas (d+2). Em alguns o processo pode ser em (d+1) — normalmente o VET é maior.

A grande maioria das corretoras internacionais só aceita transferência de mesma titularidade, para evitar lavagem de dinheiro.

Quando da transferência de pequenos valores — o critério varia entre as instituições — o investidor precisa apenas fazer um rápido cadastro no site. Já as somas consideráveis, necessitam de comprovação de origem dos recursos, normalmente feita por meio da apresentação da declaração de imposto de renda.

O Banco Central exige que remessas com valor superior a US$10 mil sejam formalizadas por meio de um contrato de câmbio, a ser registrado na instituição. Caso seja seu caso, não esqueça de pedir este documento à instituição intermediadora.

TransferWise

A TransferWise é uma startup britânica, fundada por ex-colaboradores do Skype, que tinham muita dificuldade em realizar operações de câmbio para o pagamento de contas pessoais.

A companhia hoje possui mais de 7 milhões de clientes, conta com escritórios em 14 países e movimenta mensalmente cerca de 5 bilhões de dólares, oferecendo câmbio em 50 moedas diferentes.

A proposta da companhia é oferecer agilidade e praticidade para o envio de recursos internacionais.

Depois de um cadastro simples, as remessas são feitas diretamente pelo aplicativo, cujo manejo é extremamente simples. A liquidação financeira acontece em d+3, mas em alguns casos pode demorar um pouco mais.

O débito dos recursos pode ser feito por meio de uma TED bancária, ou mesmo pelo pagamento de um boleto gerado pelo sistema da empresa.

A companhia cobra uma taxa fixa de 7,2 dólares por transação, mais uma taxa variável de 1,28 por cento sobre o montante transacionado. O spread no câmbio costuma ser baixo.


MoneyGram

A MoneyGram é uma empresa americana, listada na bolsa de valores (NASDAQ:MGI) com atuação global, presente hoje em mais de 200 países.

Para o envio de recursos, a companhia aceita transferência bancária (TED), bem como cartão de débito e crédito (com taxas maiores). Existe também a possibilidade de recorrer a um correspondente físico e enviar os recursos por meio de depósito em espécie.

A companhia conta com um website e também um aplicativo de celular para a realização das remessas internacionais. A taxa fixa cobrada para o envio é relativamente alta, mas o spread cobrado sobre a cotação do dólar comercial tende a ser justo.

Como a MoneyGram é um player global (poucos anos atrás chegou a ser a segunda maior empresa do mundo, em termos de volume financeiro transacionado), algumas corretoras brasileiras fazem uso da estrutura dela, quando o envio de recursos para o exterior.

Remessa Online

A Remessa Online é uma empresa brasileira, fundada em 2016, que compete diretamente com a TransferWise.

Durante sua história, a companhia já movimentou mais de 8,5 bilhões de reais e possui mais de 78 mil clientes cadastrados em sua base.

As remessas internacionais realizadas pela Remessa Online são liquidadas em d+1 e podem ser feitas para mais de 200 países.

Além do spread sobre a cotação do dólar, a empresa cobra uma taxa de 1,38 por cento sobre o volume transacionado. Para remessas inferiores a 2.500,00 reais, há cobrança de uma taxa de 5,90 reais.

A companhia não conta com aplicativo para celular, apenas website.


Confidence Câmbio

A Confidence Câmbio faz parte da Travelex, o maior grupo de câmbio do mundo. Possui mais de 20 anos de atuação no Brasil e atende cerca de 1 milhão de clientes por ano, globalmente.

As remessas internacionais realizadas pela Confidence Câmbio são liquidadas em d+1 e podem ser feitas pelo site, aplicativo de celular, ou correspondentes físicos.

Além da cobrança de spread sobre a cotação do dólar comercial, a empresa também demanda pagamento de taxa fixa no valor de 9,90 reais para operações feitas digitalmente e 30 dólares quando realizadas nas lojas físicas.


Seja Global

Espero que a newsletter de hoje tenha esclarecido alguns mitos sobre o envio de recursos ao exterior. A atividade é totalmente lícita, desde que feita por uma instituição autorizada e que os limites sejam respeitados.

Fica a cargo do investidor escolher a melhor forma de enviar recursos ao exterior. Normalmente os bancos comerciais possuem taxas bem salgadas, enquanto as startups ou empresas globais cobram menos pelo serviço.

Quando falamos de remessas internacionais, o segredo é pesquisar o custo total da transação (VET), bem como o prazo estimado para chegada de recursos no exterior, que pode variar de alguns segundos, até uma semana.

Se você tiver alguma sugestão ou dúvida sobre investimentos internacionais, mande-nos uma mensagem no [email protected] e seu tópico poderá estar na próxima newsletter.

Um abraço,



Em observância ao Artigo 22 da Instrução CVM nº 598/2018, a Nord Research esclarece que oferece produtos contendo recomendações de investimento pautadas por diferentes estratégias e/ou elaborados por diferentes Analistas. Dessa forma, é possível que um mesmo valor mobiliário encontre recomendações distintas em diferentes produtos por nós oferecidos. As indicações do presente Relatório de Análise, portanto, devem ser sempre consideradas no contexto da estratégia que o norteia.


Compartilhar este artigo
por Cesar Crivelli
em 27/06/2020 para Nord Insights

Iniciou sua carreira na área de análise de uma corretora independente e posteriormente integrou a equipe de Equity Research do Citibank, tesouraria da GM no Brasil e trabalhou em uma startp-up em Boston por dois anos, onde era responsável por M&A e expansão em novos negócios.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!