Dica de amigo de verdade

Eu aprendi a investir melhor com um amigo. Provavelmente, o mesmo aconteceu com você. Como podemos incentivar mais isso?

Despencando do maior morro do mundo

Esta semana, um amigo que nunca investiu em Ações me questionou:

"Estou pensando em entrar nos IPOs, o que você acha?"

Travei. E, reprimindo a vontade de estrangulá-lo ali mesmo, respondi bem ao estilo Charlie Munger:

"Para aprender a andar de bicicleta, você desce o maior morro que conhece no primeiro dia?"

Fonte: Red Bull

"Em seu primeiro dia na cozinha, sua escolha de prato é uma Lagosta ao Thermidor no sous vide?"

"Com 18 anos, para tirar habilitação, vai pilotar um Fórmula 1 em Interlagos?"

"No primeiro dia na academia, você pega o máximo de peso que consegue?

Fonte: Athletic Performance Training Center.

Acho que fui um pouco grosseiro...


"Ou vai, ou racha"

Quando comecei a investir, comprava Petro e Vale quando caíam um pouco e fazia termos para alavancar ganhos.

Como o dinheiro era pouco, a estratégia se resumia a: "ou vai, ou racha" – desnecessário ressaltar que o destino me resguardou a segunda opção.

Mas tive sorte. Assim como meu pai não me deu um Golf GTI de 230 cavalos quando fiz 18 anos, o destino não me proveu dinamite (capital) cedo demais.

Tive tempo de angariar algum juízo antes de angariar recursos.

Quando o capital começou a florescer, já estudava para o CFA e trabalhava no Private do BNP.

Porém, como as pessoas só aprendem se estrepando, o conhecimento técnico e a Bolsa em alta só me deram mais confiança para "termar" (fazer operações alavancadas usando termo) Petro e Vale.

“Jênio”.

Lá se foi o dinheiro para me ajudar a pagar um MBA no exterior. Obrigado, termos!

Por sorte, o dólar era menos de 2 reais…


Eu e meu Home Broker

Adoro criticar os vendedores de sonhos, mas eu certamente estaria tentando pagar meus cafezinhos com day trade se começasse a investir nos dias de hoje.

Já me imagino às 3h da manhã na balada, tentando operar futuros de qualquer coisa na Ásia para pagar pelas gins-tônicas.

Seriam as gins-tônicas mais caras da história...

Talvez o pior incentivo seja ter dinheiro disponível cedo demais. Afinal, é muito mais fácil e rápido operar do que analisar negócios.

Clicar "compra" no Home Broker é muito mais fácil e prático que decifrar as mentiras que os diretores financeiros nos contam nos balanços.

Sejamos sinceros, todos sabemos que as estratégias mirabolantes não funcionam.

Mas é tão fácil tentar que "vai que, né?"


Dica de amigo de verdade

Com um MBA e 2 anos achando que dominaria o mundo como trader de Opções na Inglaterra, voltei à Ilha de Santa Cruz.

E meu destino mudou.

Um amigo gestor me disse: “Procure saber mais sobre Value Investing e Warren Buffett”.

Eu, mesmo sendo a pessoa mais cabeça-dura do mundo, acreditei nele.

Olha que eu sou bem cabeça-dura.

Que sorte. Minha vida mudou.


Meu livro, minha vida

Muita gente me pergunta que curso fazer para aprender a investir. MBA? Pós graduação? Curso de Valuation? Curso online?

Não. A forma mais eficiente e mais barata de aprender qualquer coisa é lendo livros.

Nunca fui um leitor ávido, nunca fui particularmente metódico ou disciplinado.

Mas a ideia de poder multiplicar dinheiro e atingir a liberdade financeira cedo sempre me comandou.

Li um. Li dois. Li três.

Li “A bola de neve”. Li “O investidor inteligente”. Li “Os Ensaios de Warren Buffett”. Li as Cartas Anuais da Berkshire. Li “As regras essenciais de Warren Buffett”. Li “O poder de pensar fora da caixa”.

Li Philip Fisher, desisti de ler Business Adventures (chato demais), li “Sonho grande”, li Michael Lewis, li Howard Marks, li Peter Lynch...

Peguei a lista de livros recomendados por Buffett e comprei (quase) todos.

Como comprar é muito mais fácil que ler, é claro que tenho vários livros que ainda nem abri.

Li muito. Leio muito.

Mas gostaria de ler muito mais.


Dinheiro antes de juízo

É complicado competir com os vendedores de sonhos.

Para um jovem, que possui muito pouco tempo para ler livros e muito mais tempo para jogar videogame, procurar parceiros sexuais, ver Netflix, curtir a vida com amigos e (talvez) trabalhar, o sonho da riqueza fácil é doce demais para deixar passar.

Entendo perfeitamente.

Talvez o pior incentivo seja ter dinheiro disponível cedo demais.

Ter dinheiro antes de ter juízo é perigosíssimo.

Investir é como olhar a grama crescer. Investir é longo prazo.

Investir é kryptonita para a geração millennial celular  Google  redes sociais  “faço o que quiser a hora que quiser”.

Até a milenar arte da sedução virou um mísero esfrega para a direita nos dias de hoje.

Fonte: Photofeeler

Porém, acreditar em sonhos nunca é particularidade só dos jovens millennials.


Quem são os clientes da NORD?

Não é nada científico.

Converso muito com os assinantes do ANTI-Trader no Telegram e com os assinantes do Investidor de Valor nas monitorias.

Muitos amigos próximos e familiares assinam as séries.

Minha percepção é que a maioria dos nossos assinantes são aqueles que já brincaram com dinamite e se deram mal.

Já perderam dinheiro com day trade, já tomaram volta com alguma pirâmide financeira, já queimaram dinheiro com a "nova Magalu", já seguiram "dica quente" e se estreparam etc.

Só após se lambuzarem de drogas pesadas, os clientes procuram o evangelho de Warren Buffett.

Só após se explodirem com armas de destruição em massa é que os investidores voltam para o que comprovadamente funciona.

Da mesma forma que eu fiz.

Os mais sortudos tentaram brincar com dinamite, mas foram com pouco dinheiro.

Os mais azarados dinamitaram décadas de suas vidas (financeira e pessoal – as duas sempre andam juntas).


Dica de amigo de verdade (de verdade mesmo!)

Sempre discutimos uma forma para que nossos clientes indiquem amigos para a NORD.

Afinal, grande parte dos assinantes da NORD entrou por indicação.

A investidora vê um vídeo no YouTube, depara-se com um link patrocinado no Insta, deixa o e-mail, gosta das newsletters e assina o Nord Combo Essencial.

Entretanto, na maioria das vezes, a investidora encontra algum amigo que segue as mesmas páginas e questiona sobre a qualidade do produto da NORD.

"Estou pensando em assinar, você assina algo? O que você acha?"

Faz sentido. Eu também desconfio do que compro pela internet e valido as informações de alguma forma.

Eu também descobri como investir melhor por meio da dica de um amigo.

O day trade, as dicas quentes e os vendedores de sonhos têm uma atratividade muito maior e alcançam muito mais seguidores do que o que fazemos.

"Fique rico rápido" chama mais a atenção do que "fique rico devagar e com cautela".


Member get member

Reconhecemos e agradecemos de coração o suporte de milhares de assinantes (e não assinantes) que levam nossos conteúdos a amigos e familiares.

Contudo, sem abusar da amizade, deixe-me pedir a você algo mais.

Como você criaria um programa de recompensas para pessoas que indicam novos assinantes?

Como você recompensaria o ótimo trabalho que nossos assinantes já fazem de graça por nós?

Como criar algo agora que não prejudique os milhares de assinantes que já nos ajudam tanto sem pedir nada em troca?

Responda a este e-mail ou me mande uma mensagem no Twitter, Instagram, Facebook ou LinkedIn (monitoria ou Telegram para assinantes).

Eu gostaria muito de aprender com você.

Obrigado (S2).


Compartilhar este artigo
por Bruce Barbosa
em 07/10/2020 para Nord Insights

Possui 17 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pelo BNP Paribas, HSBC e Empiricus Research. Formado em Engenharia de Produção pela USP e possui um MBA pela New York University.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!