Como rentabilizar um negócio

Em negócios de franco crescimento, a receita é mais trivial: cresça e colha os benefícios dos ganhos de escala para rentabilizar o seu business.

 

Em negócios de franco crescimento, a receita é mais trivial: cresça e colha os benefícios dos ganhos de escala para rentabilizar o seu business. São incontáveis os casos. Já quando se está em segmentos de crescimento vegetativo - ou de retração! -, a receita é outra. Precisa ser outra.

Colocar lado-a-lado os dados de faturamento de diferentes anos de empresas de telefonia é mais ou menos como alinhar as tiras de uma folha de papel que passou por uma picotadora: difícil de saber a ordem das colunas. São negócios que, via de regra, não crescem: mercados absolutamente maduros.

Restam duas alternativas que, necessariamente, precisam ser atacadas simultaneamente: de um lado, a exploração de novas frentes de negócio - não para crescer, mas para ocupar o espaço de fontes de receita que vão gradualmente perdendo espaço. Do outro, controle obsessivo de custos e despesas.

À primeira categoria pertencem iniciativas como maior oferta de serviços de dados - banda larga fixa e móvel, além de outras facilidades B2B e B2C - em resposta ao esmaecimento de fontes tradicionais de receita, como os serviços de voz e de SMS. À segunda, ganhos de margem decorrentes de menores despesas operacionais, como as de interconexão.

Lembra quando todo mundo tinha três ou quatro chips de celular, por conta de ligações ilimitadas de Tim para Tim, Oi para Oi e assim por diante? A redução paulatina das despesas de interconexão, iniciativa da Anatel, esvaziam esse tipo de comportamento do consumidor. A oferta de planos ilimitados sem restrição de operadora é consequência direta disso.

Melhora a capacidade de geração de receita das teles mediante a oferta de novos planos. Melhora a rentabilidade delas mediante a redução de despesas operacionais. É margem na veia. EBITDA vira lucro e lucro vira dividendo.

Se não dá para crescer, vamos focar em melhorar rentabilidade. É o que as teles têm feito. E este é um negócio de fortíssimo potencial de geração de caixa. Caixa este que, na falta de destinação melhor (não tem para onde crescer, lembra?), acaba na mão dos acionistas.

É por isso que empresas de Telecom se fazem presentes na carteira do Nord Dividendos. Às vezes você não precisa que um negócio tenha perspectivas astronômicas de crescimento para ser bom para o seu bolso.

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Compartilhar este artigo
por Ricardo Schweitzer
em 12/03/2019 para Nord Insights

Possui 12 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou Adviser Asset, Fundação CEEE, Sicredi Asset, Votorantim Corretora e Empiricus Research. Formou-se economista pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!