BDRs: hoje sim, hoje sim, hoje não

Um avanço bastante atrasado

Uma das notícias mais comentadas da semana foi a de que a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) alterou as regras para negociação de BDRs (Brazilian Depositary Receipts).

BDRs são instrumentos em que o investidor brasileiro pode negociar ações estrangeiras na Bolsa local.

A partir de 1º de setembro de 2020, qualquer investidor passa a ser apto a negociar BDRs — antes somente os investidores qualificados (com mais de 1 milhão de reais de patrimônio) possuíam o direito de acessar este mercado.

De fato, a mudança na regra mostra um avanço importante na regulação do mercado de capitais brasileiro, motivo pelo qual as corretoras e a B3 trataram de comemorar como um grande golaço.

Sinceramente, eu acho que essa era uma notícia para ser comemorada se tivesse saído há uns 2-3 anos.

Falo isso porque nos últimos anos as corretoras americanas facilitaram muito o acesso de investidores brasileiros. O processo de abertura de conta foi simplificado, a aprovação se dá em poucas horas e algumas, inclusive, como é o caso da Avenue, oferece suporte em português. Esta última já atende mais de 115 mil clientes vindos do Brasil (agora deu para entender o porquê da pressão da B3 e das corretoras).

É por estes motivos, e outros que listarei abaixo, que eu acredito que o melhor caminho para quem quer se expor a ações diretamente é abrir uma conta em uma corretora fora do Brasil.

Para aqueles que querem ter exposição a ações em dólar, mas dispõem de poucos recursos, falta de conhecimento e de tempo, o melhor caminho continua sendo o ETF IVVB11. É bastante líquido, barato (taxa de administração de 0,24 por cento) e oferece ao investidor uma carteira diversificada. Ainda não encontramos boas opções de fundos de gestão ativo nas plataformas de investimento brasileiras.  

Investindo lá fora

Liquidez

A liquidez do mercado local aumentou bastante nos últimos tempos e, com a maior participação do varejo, deve acelerar. Entretanto, o volume médio diário negociado está na casa dos 90 milhões de reais. Ainda é pouco líquido.

Fonte: Valor Investe / B3

Se este mercado fosse de uma ação apenas, não estaria entre as 50 ações mais negociadas do Ibovespa. Para servir de comparação, mesmo que a liquidez triplique ou quadruplique, ainda negociará menos do que uma empresa como Suzano, BTG ou Lojas Renner por dia.

Outros dados para servir de comparação:

  • A B3 negocia diariamente algo em torno de 30 bilhões de reais, enquanto o S&P 500 negocia 70 vezes mais.
  • São quase 3 milhões de investidores na B3, enquanto apenas 5 mil investidores em BDRs.

A Liquidez é muitas vezes menosprezada, mas a gente sabe que quando o mercado azeda e despenca, a liquidez seca e não tem comprador.

Esse é um tipo de risco que não topamos correr, principalmente depois de ver o que aconteceu recentemente no auge da crise com algumas ações da bolsa brasileira.

Oferta

Atualmente existem 550 BDRs listados no Brasil. Já é um número razoável e a oferta deve ser ampliada com a entrada de empresas como a XP Inc..

Mas nos Estados Unidos, o universo é outro. Existem mais de 4 mil empresas listadas e outros tantos milhares de ETFs disponíveis.

Spread no book de ofertas

Como o mercado aqui é pouco líquido, alguns BDRs apresentam um spread considerável no book de ofertas. Isso significa que ao investir no mercado local o investidor estaria pagando um pênalti sobre a cotação real do ativo em dólares.

Peguei um exemplo que o nosso analista Cesar Crivelli usou ontem no canal do Telegram do Nord Global que evidencia este problema.

Ontem, até às 13h47, os BDRs da rede de farmácia CVS tiveram apenas um negócio, às 10h30 da manhã.

A diferença entre a compra e a venda na B3 é da ordem de 1 por cento.

Já na NYSE, a diferença é de 0,01 e temos centenas de milhares de negócios por dia.

Custo de remessa

Nos últimos 2 anos as plataformas de câmbio digital também evoluíram bastante, e isso se traduziu, principalmente, em remessas mais rápidas (1-2 dias) e custos bem mais baixos. Entre spread e IOF, é possível encontrar plataformas que cobram algo em torno de 1,68 por cento. Considerando a liquidez do mercado local, o spread na compra e na venda de um BDR por aqui, eu acredito que vale a pena pagar esse prêmio.

Lote Padrão

Ao contrário do que ocorre nos EUA, onde não há diferenciação entre lote padrão e fracionário, no Brasil o lote mínimo de negociação é de 10 BDRs. Isso significa que para comprar um lote padrão de Amazon um investidor terá que desembolsar mais de 86 mil reais.


Há possibilidade de operar no mercado fracionário, e ainda assim o investidor precisa desembolsar 8,6 mil reais. Não parece algo muito preparado para o investidor de varejo.

Tributação

Como diz a matéria do Valor Investe: "A B3 ainda não divulgou detalhes sobre a tributação, mas adiantou que não haverá a isenção de Imposto de Renda (IR) para pessoa física, como é hoje em ações (com limite mensal de R$ 20 mil). Hoje, os BDRs são tributados em 15 por cento nas operações que geram lucro".

Para quem investe por meio de uma corretora no exterior, a regra é de isenção de IR até 35 mil reais por mês. É importante dizer que é preciso considerar a variação cambial na conta. Nesse sentido, a Avenue é a corretora que oferece o melhor suporte, pois disponibiliza uma série de relatórios para declaração de imposto de renda, como: informe de rendimentos pelo recebimento de dividendos, extrato de depósitos, retiradas e ajustes, relatório de câmbio, notas de corretagem e relatórios de ordens e execuções.

How to Do it

Investir em ações diretamente, seja no Brasil ou qualquer lugar do mundo, exige dedicação de estudo ou o acompanhamento de um especialista. Não dá para simplesmente sair comprando empresas só porque conhecemos pelo nome ou usamos os serviços.

Como eu disse no início desta newsletter, se você não tem o perfil de um investidor mais mãos à obra, então o melhor é seguir pelo caminho dos ETFs.

Agora, se você tem interesse em se aprofundar nas teses e investir nas maiores empresas do mundo, com o acompanhamento de um especialistas, e dispõe de recursos para um investimento inicial, então sugiro que conheça o Nord Global.

Além de um painel para notícias diárias e informes da série no Telegram, os assinantes contam com um CANAL DIRETO com os analistas, similar ao que já acontece com outras séries da Nord, como ANTI-Trader e Small Caps.

Além disso, o Cesar preparou um material de apoio com o passo a passo de como abrir sua conta no exterior, com uma análise detalhada e um comparativo entre 5 das mais conhecidas plataformas.

A série conta também um vasto material sobre tributação, formulário W8, como enviar recursos para o exterior e muito mais. Você terá o passo a passo de como proceder em praticamente todas as situações.  

A série está fechada, mas em função das inúmeras consultas que recebemos por conta da notícia sobre BDRs, resolvemos fazer uma abertura pontual.

Para tanto, você precisa usar o cupom  GLOBAL50. Por meio deste link aqui você consegue acessar a série e usar o cupom que dá desconto.

A oferta é por tempo limitado e vale apenas para os 50 primeiros que usarem o cupom.

Encontre a mensagem acima e clique. Vai abrir uma janela e você então insere: GLOBAL50

Após alguns segundos, o preço novo será recalculado e o acesso à série estará liberado. Então é só proceder com a compra normalmente.

Um abraço e até a próxima.





Em observância ao Artigo 22 da Instrução CVM nº 598/2018, a Nord Research esclarece que oferece produtos contendo recomendações de investimento pautadas por diferentes estratégias e/ou elaborados por diferentes Analistas. Dessa forma, é possível que um mesmo valor mobiliário encontre recomendações distintas em diferentes produtos por nós oferecidos. As indicações do presente Relatório de Análise, portanto, devem ser sempre consideradas no contexto da estratégia que o norteia.


Compartilhar este artigo
por Renato Breia
em 13/08/2020 para Nord Insights

Possui 15 anos de experiência no mercado financeiro. Antes de fundar a Nord Research passou pela Link Corretora, Galleas Asset, Rico Corretora e foi sócio da Empiricus Research. Formou-se em economia pela PUC-SP, tem especialização em Gestão de Fortunas pela Columbia University e é Planejador Financeiro, CFP®.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!