Bancos: menos estresse pela frente

O Banco Central divulgou o Relatório de Estabilidade Financeira, no qual traz o panorama do Sistema Financeiro Nacional (SFN) do primeiro semestre de 2020.


Dentre os diversos pontos levantados, o Bacen ressalta que o SFN está bem capitalizado, bem provisionado e com liquidez elevada. As medidas implementadas pelo governo, Conselho Monetário e BCB proporcionaram condições de resiliência para que as instituições financeiras enfrentem adequadamente os riscos decorrentes da Covid-19.


O Bacen continua observando os efeitos da redução do auxílio emergencial e o comportamento das dívidas que tiveram as parcelas postergadas, movimento que adiou os efeitos da inadimplência.


O que me chamou mais a atenção no relatório foi a atualização do teste de estresse do choque da Covid-19 na inadimplência. Com premissas mais atuais, os impactos agora são 50 por cento menores que os estimados no teste anterior.


Isso significa que, em um cenário extremo, para cobrir uma eventual inadimplência das empresas e famílias mais impactadas pela Covid-19, o SFN precisaria de aportes do total de 35 bilhões de reais, ou seja, 3,5 por cento do total do seu patrimônio de referência (somatório do patrimônio líquido e outros itens do balanço das IFs). Com alto índice de cobertura da inadimplência, proporcionado por maiores provisões e com índice de Basileia ainda confortável ao mínimo regulatório, as instituições financeiras conseguiriam suportar os efeitos mais graves da inadimplência.


Isso é bom para termos em mente que os bancos têm algum caminho livre para pesar menos a mão nas provisões daqui para a frente. Consequentemente, podemos esperar melhores resultados para o 2S20.


Compartilhar este artigo
por Matheus Amaral
em 16/10/2020 para Nord Insights

Especialista em finanças e mercado de capitais pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), atuou como auditor de fundos de investimento e consultor em instrumentos financeiros na Ernst & Young por 5 anos. Após, integrou a equipe de equity research da Toro Investimentos. Ingressou na Nord Research em outubro de 2019, como parte do time do Nord Deep Value.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!