A festa acabou?

Em 2019, o Ibovespa subiu 32 por cento. É hora de vender aquela ação que subiu demais?

Que ano!

Vamos completar hoje o quarto ano seguido de alta do Ibovespa. Foram 4 anos de fortes altas.

Valorização do IBOV. Fonte: Bloomberg

Demos início ao atual ciclo em 2016, com 39 por cento de alta. Nos dois anos seguintes, foram mais 27 e 15 por cento. Em 2019, fecharemos o ano com algo próximo de 32 por cento.

Realmente, foi um ano excelente para nossa bolsa, principalmente por conta do bom desempenho nos meses de janeiro (+11 por cento), junho (+4 por cento), setembro (+3,6 por cento) e dezembro (+7 por cento).

Retorno total - inclui a valorização das ações e proventos distribuídos. Fonte: Bloomberg e Nord Research

Neste ano, 86 por cento das empresas ativas em nossa bolsa fecharam o ano com suas ações se valorizando. Metade de todas as empresas negociadas publicamente subiram mais de 50 por cento em 2019.

Com a combinação de juro para baixo e bolsa para cima, muita gente entrou na bolsa este ano.

Passamos de 800 mil investidores em 2018, para os atuais 1,6 milhão. Muita gente começou a aprender sobre bolsa e comprou sua primeira ação neste ano.

Mas depois de tanta euforia, em um ano marcado por grandes valorizações, uma dúvida começa a ficar cada vez mais comum: quando é a hora de vender uma ação?


Você precisa aprender a jogar direito

You gotta learn to play it right

You've got to know when to hold 'em

Know when to fold 'em

Know when to walk away

And know when to run

You never count your money

When you're sittin' at the table

There'll be time enough for countin'

When the dealin's done

Every gambler knows

That the secret to survivin'

Is knowin' what to throw away

And knowin' what to keep

'Cause every hand's a winner

And every hand's a loser

O trecho da música The Gambler, de Kenny Rogers, apesar de ter sido escrita sob a temática do poker – de um apostador –, poderia muito bem ser sobre investimentos.

Afinal, precisamos aprender como investir corretamente.

Saber quando comprar uma ação, quando segurar, quando vender, quando ficar de fora de uma armadilha, quanto do patrimônio alocar em bolsa...

Toda empresa pode ser um ótimo ou um péssimo investimento, tudo depende do preço que pagamos por ela.

Investir na bolsa é, antes de mais nada, um jogo de sobrevivência. Exige paciência, prudência e disciplina.

A bolsa é um jogo de soma zero, para alguém ganhar, alguém necessariamente perde. Quem tenta pegar atalhos para acelerar seus ganhos, costuma não chegar ao final com uma história de sucesso para contar.

Sua filosofia de investimentos, o processo pelo qual investe/desinveste em ações e o quão fiel você é à suas diretrizes, são os fatores que mais vão fazer diferença ao seu bolso no longo prazo.


Três razões para vender

Voltando à minha indagação inicial, apresento quais são as 3 razões que eu acredito que justifiquem a venda uma ação. E adianto, oquanto você ganhou ou perdeu com ela, não é uma delas!

1 - O ciclo se completa:

Qualquer investimento baseado em uma análise fundamentalista se resume a comprar quando uma empresa está negociando a um preço menor do que aquele negócio vale.

Logo, o primeiro motivo para vender uma ação é exatamente quando o contrário do que te levou a comprar uma ação ocorre: quando o mercado converge em direção à sua visão de valor, e passa a precificar o ativo perto do que considera adequado.

Neste ponto, você fez um bom investimento, mas caso a empresa não tenha melhorado seus fundamentos neste período, a relação preço/fundamento deixará de ser atrativa ou segura.

É hora de dizer adeus.

2 - Fundamentos caíram/Erro de análise:

Quando uma vantagem competitiva que parecia ser sustentável deixa de existir.

Quando um crescimento esperado deixa de ser factível.

Quando novos concorrentes ou produtos substitutos ameaçam substancialmente a empresa.

Quando uma boa estratégia sofre com uma má execução

Estes são alguns exemplos de quando uma empresa pode nos decepcionar ou simplesmente de quando erramos em nosso juízo de valor e análise.

Nestes casos, é hora de dizer adeus.

A humildade é uma das virtudes mais raras no mercado financeiro.

Admitir erros, aceitar derrotas e, principalmente, aprender e evoluir com tais frustrações, é o que separa o melhor investidor do ano, daqueles que entram para história com décadas de retorno consistente.

3 - Melhor oportunidade encontrada:

Diferentemente do seu namoro/casamento, na bolsa de valores você não precisa ser fiel com a empresa que mantém um relacionamento (investe).

Como ninguém tem dinheiro infinito e investir em empresas demais tende a aumentar suas chances de cometer erros de análise, quando encontramos uma empresa com uma relação de risco/retorno mais atrativa, com mais margem de segurança…

É hora de dizer adeus para uma das ações de sua carteira que não é um investimento tão bom quanto este.

Qual delas? Aquela(s) que você ficaria em dúvida se compraria novamente amanhã, caso alguém invadisse seu home broker e vendesse todas suas ações hoje.

E é isso. São esses os únicos momentos que considero adequados para vender uma ação.

Sinto muito ter decepcionado quem esperava um número mágico, uma análise gráfica/estatística ou uma fórmula matemática.

Mas não foi assim que os melhores investidores do planeta alcançaram tal patamar e não vou tentar reinventar a roda enquanto ela rodar melhor do que qualquer outra forma conhecida.


O touro é forte

Posso estar completamente equivocado, lógico, mas acredito que estamos apenas no meio do ciclo de alta (bull market). Que ainda tem muita água para passar debaixo dessa ponte, que nunca teve bases tão sólidas.

Se a bolsa vai subir novamente ou cair em 2020, se virá uma crise lá de fora e se isso pode atrapalhar nossa recuperação cíclica já endereçada, eu não sei. Ninguém sabe.

Mas sei que até o momento a bolsa subiu majoritariamente em função da melhora de expectativas, da confiança.

A valorização decorrente da forte melhora dos resultados ainda está por vir. A economia real ainda não engrenou. Pode ser que 2020 seja finalmente o ano da virada.

E se os resultados melhoram, eventualmente a bolsa tem que subir. Caso contrário, ela volta a ficar muito barata e os investidores comprariam mais ainda, o que puxaria os preços para cima.

Mas a única coisa que posso garantir é que aqui na Nord estamos com tudo preparado para entregar um 2020 muito melhor do que 2019.

Afinal, nosso compromisso não é tentar adivinhar que vai acontecer com o mercado. Nossa responsabilidade é garantir que você, que deposita sua confiança em nós, esteja na melhor casa de análise independente do mercado.

Abraço,

Rafael Ragazi.



Em observância ao Artigo 22 da Instrução CVM nº 598/2018, a Nord Research esclarece que oferece produtos contendo recomendações de investimento pautadas por diferentes estratégias e/ou elaborados por diferentes Analistas. Dessa forma, é possível que um mesmo valor mobiliário encontre recomendações distintas em diferentes produtos por nós oferecidos. As indicações do presente Relatório de Análise, portanto, devem ser sempre consideradas no contexto da estratégia que o norteia.


Assuntos relacionados
Compartilhar este artigo
por Rafael Ragazi
em 30/12/2019 para Nord Insights

Iniciou sua carreira como Analista na Investor Consulting Partners (assessoria especializada em M&A e finanças corporativas).Posteriormente, foi Gerente de Novos Negócios na Wise Up|Somos Educação (enquanto investida da Tarpon Investimentos) e Sócio responsável pela área comercial e membro do comitê de investimentos da Luminus Capital Management.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!