3,5 milhões em um dia

Calma! Isso não tem nada a ver com aquele curso de day trade que você costuma ver por aí e, sim, com o resultado de chaves no primeiro dia de cadastro do Pix  novo meio de pagamentos do Banco Central. Para ser exato, foram 3.528.822 cadastros.


São mais de 650 instituições aptas a ofertar a plataforma dentre bancos, fintechs e instituições de pagamentos. O potencial ainda não foi destravado, já que o lançamento amplo e oficial será no dia 16 de novembro.


Muitos nos perguntam se isso será uma ameaça para os bancos. Categoricamente, a resposta é não. Os bancos ganham muito mais dinheiro com crédito, um aglomerado de serviços bancários e seguros.


Quem vai precisar se desdobrar são as adquirentes, já que o novo meio de pagamento afeta muito mais as transações do cartão de débito. Isso porque o Pix tem vários pontos a seu favor, sendo os principais a instantaneidade (mesmo nos fins de semana) e, principalmente, o baixo custo.


Mas nem tudo é ameaça. O Pix vem principalmente para agregar uma parcela relevante de desbancarizados  são mais de 45 milhões fora do sistema financeiro no Brasil. Esta, sim, é uma oportunidade que as instituições financeiras têm a explorar e todos estão de olho.


Não é o primeiro nem o último avanço tecnológico no setor financeiro, nunca duvidem da capacidade de reinvenção dos bancos.


Acompanhamos de perto alguns nomes do setor financeiro, que estão uma pechincha, no Nord Dividendos.


Compartilhar este artigo
por Matheus Amaral
em 06/10/2020 para Nord Insights

Especialista em finanças e mercado de capitais pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), atuou como auditor de fundos de investimento e consultor em instrumentos financeiros na Ernst & Young por 5 anos. Após, integrou a equipe de equity research da Toro Investimentos. Ingressou na Nord Research em outubro de 2019, como parte do time do Nord Deep Value.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!