A estratégia Bunda na parede é a melhor

Ontem tivemos a nossa tradicional reunião do Copom.

Ontem tivemos a nossa tradicional reunião do Copom.

Como esperado, a taxa de juros se manteve em 6,5 por cento.

O comunicado pós reunião trouxe uma mensagem bem tranquila, apontando que os riscos inflacionários perderam força desde dezembro.

Utilizando linguística avançada, poderíamos concluir que seria um sinal de que o BC estaria propenso a fazer novos cortes na Selic.

Ao mesmo tempo, as projeções de inflação parecem desautorizar esse caminho.  

Olhando os cenários de projeção de inflação que mantém a Selic estável até 2020, a inflação dos próximos dois anos se encontra em 3,9 e 4 por cento, respectivamente.

E, com a inflação de 2020 na meta, retira-se um pouco da pressão por novos cortes na taxa básica – pelo menos em um horizonte curto de tempo

Isso reforça a mensagem final de que “seguir com cautela é a melhor estratégia”.

Em outras palavras, vão seguir sendo bunda na parede daqui em diante.

Uma estratégia assim seguirá ajudando alguns dos nossos prefixados e indexados de meio de curva.

Seguiremos observando de perto e avisaremos os assinantes quando for necessário vendê-los.

Em observância à ICVM 598, declaro que as recomendações constantes no presente relatório de análise refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

Compartilhar este artigo
por Luiz Felippo
em 07/02/2019 para Nord Insights

Iniciou sua carreira num projeto de renda fixa do Insper com o BTG Pactual. Posteriormente atuou na área de pesquisa econômica internacional do Itaú Asset Management e foi analista de Renda Fixa da Empiricus Research. Formou-se Economista no Insper.

Receba nosso conteúdo GRATUITO!